A A
Economia
Postado em 08/11/2019 - 15:45

Produtores rurais do Norte do estado tiram dúvidas sobre serviços ambientais

Produtores rurais do Norte de Minas estiveram na quinta-feira (7/11) no Parque de Exposições João Alencar Ataíde, em Montes Claros, para tirar dúvidas sobre serviços oferecidos pelo Sistema Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Sisema) e também pela Secretaria de Estado de Agricultura, Abastecimento e Pecuária (Seapa). O encontro faz parte do programa "Diálogos com o Produtor Rural", iniciativa do Governo de Minas para aproximar o homem do campo do poder público e promover esclarecimentos das regras de respeito ao meio ambiente.

O diretor-geral do Instituto Estadual de Florestas (IEF), Antônio Malard, destacou a gama de informações disponíveis sobre os diversos serviços do IEF, como o manejo florestal. "O produtor muitas vezes tem dúvidas, mas não tem como chegar aos nossos serviços por dificuldades de acesso à internet, de deslocamento até uma regional ou núcleo do IEF e das outras entidades do Sisema. Então, é o momento de ele chegar e tirar uma dúvida pessoal mesmo, personalizada", diz Malard.

O produtor e engenheiro agrônomo Victor Veloso confirma a importância da iniciativa. Ele participou do “Diálogos com o Produtor Rural” e buscou informações para elaborar um plano de manejo da árvore da espécie aroeira, bastante comum em sua propriedade e que poderia ser aproveitada para venda de madeira com o devido replantio. "Vim procurar quais são as alternativas para essa possibilidade, pois também tenho interesse na produção de mel de aroeira", diz ele.

Uso da água

Outra demanda importante dos produtores rurais diz respeito ao uso da água, já que o Norte de Minas é uma região que sofre com a crise hídrica. A produtora de batata doce Darluce Oliveira faz o cadastro de uso insignificante da água, que corresponde a até 14 mil litros por dia, e por isso não exige outorga. Porém, ela esteve no evento para buscar orientações sobre quais ações pode desenvolver para desassorear o Rio Atoleiro, manancial que fornece a água para sua produção. "Eu vim justamente para saber o que podemos fazer contra o assoreamento, porque se algo não for feito corremos o risco de ficar sem água, já que o rio está cada vez mais seco", diz.

O coordenador da Unidade Regional de Gestão das Águas (Urga) de Montes Claros, Wesley Mota França, destacou que é muito importante que os produtores busquem o Igam para esclarecer as dúvidas para regularizar o uso da água. "É importante para sabermos se tem ou não a disponibilidade do recurso hídrico para atender o empreendimento e, para nós, como órgão gestor, ter a certeza sobre o que está sendo usado naquela bacia", afirma.

As demandas dos produtores também chegaram à Superintendência Regional de Meio Ambiente (Supram) Norte de Minas, órgão da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) responsável pelos licenciamentos ambientais da região. "É o momento também para tirar dúvidas sobre o nosso Sistema de Licenciamento Ambiental, o SLA, que é uma novidade e agora é totalmente digital", diz o superintendente da Supram Norte, Clésio Cândido Amaral. 

O encontro de produtores e órgãos do Sisema e da Seapa também teve a presença do secretário municipal de Agricultura de Montes Claros, Osmani Barbosa, e do presidente da Sociedade Rural de Montes Claros, José Luiz Veloso Maia, que pediram que o encontro se repita como forma de se tornar uma política pública para ajudar os produtores a desenvolverem seus negócios. "Com as mudanças que estão ocorrendo, é necessário que o produtor saiba o que existe de novo, por isso essa ação é muito importante", diz Osmani Barbosa. "Temos que parabenizar o governo. É uma ação que nunca existiu e precisa ser feita. O governo tem que vir ao produtor para ouvir as dificuldades", acrescenta José Luiz Maia.

Os produtores rurais também tiveram oportunidade de tirar dúvidas de serviços das entidades vinculadas à Seapa, como a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater) e do Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA). Até o fim do ano, ainda estão previstas mais três, que serão realizadas nas cidades de Almenara, Medina e Carmo do Rio Claro.

Fonte: Agência Minas Gerais