A A
Economia
Postado em 20/06/2020 - 13:54

EMGD instalará 30 usinas fotovoltaicas em Minas

 

A Empresa Mineira de Geração Distribuída (EMGD) inicia as atividades no Estado com investimentos de R$ 25 milhões e uma planta de energia fotovoltaica de 6 megawatts-pico (MWp) instalada em Pirapora, no Norte de Minas.

O projeto contempla mais 30 usinas, sob aportes de R$ 400 milhões nos próximos quatro anos.

As informações são do diretor Executivo da EMGD, José Francisco Dutra. Segundo ele, a maioria das usinas também será construída no Norte do Estado, cujos terrenos já são de propriedade da empresa e já possuem pareceres da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) para o direito de instalação.

Além disso, protocolo de entendimento com o governo do Estado, via Agência de Promoção de Investimentos e Comércio Exterior de Minas Gerais (Indi), já foi firmado e estão sendo iniciados os processos de licenciamento ambiental.

“Somos um grupo sólido, composto por profissionais com experiência no mercado financeiro e credibilidade para fazer esses investimentos acontecerem. Estão sendo desenvolvidos o projeto de engenharia e um plano de investimentos, cuja composição vai vir tanto de capital próprio quanto de financiamentos de longo prazo”, afirmou.

 

Juntas, as 30 usinas terão capacidade de 100 megawatts de energia que serão disponibilizadas ao consumidor como créditos na conta de luz, como propõe a geração distribuída. Somente a primeira planta, batizada de Usina Fotovoltaica (UFV) Corvina, ocupa uma área de 11 hectares e conta com 15 mil placas fotovoltaicas capazes de fornecerem cerca de 925 mil quilowatts-hora por mês, o suficiente para suprir o consumo mensal de aproximadamente 3.500 residências, com gasto médio de R$ 250 na conta de energia.

Durante o processo de adesão, a equipe EMGD faz um levantamento referente à média de consumo energético do cliente nos últimos meses e, a partir desses dados, dimensiona a cota necessária para atender a cada demanda. A energia gerada pelo lote alugado vai diretamente para a rede de distribuição, em Pirapora, e se transforma em créditos para o abatimento na conta do cliente em qualquer localidade do Estado.

Neste primeiro momento, o foco serão pessoas jurídicas e estabelecimentos comerciais de pequeno porte como padarias, lanchonetes, farmácias, entre outros. Depois, serão contemplados também consumidores residenciais. Pessoas jurídicas que tenham consumo mínimo de R$ 1.500 na conta de luz, com negócios em Minas Gerais e conectados à rede da Cemig, poderão se beneficiar com descontos que vão de 10% (classe industrial) a 18% (classe comercial) nos gastos com energia.

“Suponhamos que o proprietário de um açougue tenha uma fatura de energia média de R$ 5 mil. A partir do momento da contratação do plano, a energia gerada na cota solar alugada vai compensar seu consumo com a Cemig, e caberá ao cliente pagar sua mensalidade que, no caso exemplificado, custará R$ 4.100, ou seja, uma economia anual de aproximadamente R$ 11 mil. Isso com investimento zero em equipamentos ou custo de manutenção, além de contrato sem prazo de fidelidade”, exemplificou.

Ainda de acordo com o diretor, até agora, mais da metade dos lotes da UFV Corvina foi alugada antes mesmo da sua conexão com a Cemig. “Superou nossas expectativas, mas, é bom ressaltar que estamos disponibilizando cotas de uma fazenda já concluída, que trará o benefício da economia ainda este ano. Após o encerramento delas, os interessados só poderão economizar conosco quando finalizarmos a construção de uma nova usina fotovoltaica”, completou.

Fonte: Diário do Comércio